domingo, 8 de maio de 2011

Dia das mãe


Renovadora e reveladora do mundo
A humanidade se renova no teu ventre.
Cria teus filhos,
não os entregues à creche.
Creche é fria, impessoal.
Nunca será um lar
para teu filho.
Ele, pequenino, precisa de ti.
Não o desligues da tua força maternal.

Que pretendes, mulher?
Independência, igualdade de condições...
Empregos fora do lar?
És superior àqueles
que procuras imitar.
Tens o dom divino
de ser mãe
Em ti está presente a humanidade.

Mulher, não te deixes castrar.
Serás um animal somente de prazer
e às vezes nem mais isso.
Frígida, bloqueada, teu orgulho te faz calar.
Tumultuada, fingindo ser o que não és.
Roendo o teu osso negro da amargura.

(Cora Coralina)

4 comentários:

  1. Flor adorei teu blog seguindo segue de volta please bjooo http://thyallennn.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Mais um belo poema da Cora Coralina. :D
    Amei! *.*
    Ótima homenagem.
    Bjs ;)

    ResponderExcluir
  3. seu blog é lindo
    e as suas palavras foram maravilhosas
    as mulheres, embora complexas, são os seres mais lindos desse mundo
    parabéns

    http://mikaelmoraes.blogspot.com

    ResponderExcluir