quinta-feira, 18 de outubro de 2012

No fundo...



No fundo as inibições são resíduos de ideologias 

burguesas não?...   Colocadas as coisas assim, não 

responder era meio complicado. Afinal eu não 

posso me sentir um resíduo de ideologia burguesa... 

Então continuamos a falar durante algum tempo 

sobre masturbação, a música, a repressão sexual, a 

nova cultura...

(Marco L .Radice, Lidia Ravera, Porcos com Asas)

segunda-feira, 17 de setembro de 2012

Deus...



Louco tesão
que me invade de tesão
minha língua desliza
em seu sexo ereto
alisando sua virilha
sem intérpretes
seu pênis arrogante
entra e sai
de minha garganta
depois seu corpo
sem íngua ou inibição
por trás declive

arrebenta as barbatanas
do meu ânus
agora
mãos pegajosas

em suas costas
pela frente justo
penetra no meu
como réptil bruto

esmagando o colo
do meu útero
onde neste canto agudo
súbito Deus é útil

( Régis Bonvicino)

sexta-feira, 7 de setembro de 2012

Quero você...



Quero você
Sei que não deveria, você só me faz sofrer
Mas vai ver é disso que eu gosto
De ser maltratada pisoteada
Ai só de pensar em seu dorso eu já sinto tesão
Lembro-me dos teus beijos
Do teu olhar de homem sedento
Do jeito que me tocava tão doce e ao mesmo tempo tão feroz
Ah meu bem como eu quero você
Quero você de volta
Para nos fudermos a vida inteira

(Kallyta Cristina)

quarta-feira, 6 de junho de 2012

A vida é como um concerto...

Em um concerto como na vida,
É preciso ter harmonia.
Para a música ser compreendida
Ou para a vida ter sintonia.

Todos os dias acontecem
Alguns encontros sem alegria
De pessoas que desconhecem
Que a vida tem harmonia

Se ouvir de perto a cascata
Se ouvir seus próprios sentidos
Ou a cantoria da mata...

Da vida fará sua própria leitura
Que se compara a um concerto
Cujas notas formam uma partitura!...

(Rísia Lopes Negreiros)

sábado, 28 de abril de 2012

Coloque a máscara...


Quero o homem que eu amei de volta
Volte e coloque a máscara
Eu preciso dele
Preciso daquele homem
Só mais uma vez
Só mais uma noite
Só para um acerto de contas
Só para eu despejar todo meu amor de uma vez
Só para eu matar o resto dos desejos
Quem sabe assim eu esqueça aquele homem
Que na verdade só existiu dentro de mim
Coloque sua máscara
Quero dançar com aquele homem outra vez
Só mais uma vez
(Kallyta Cristina)

domingo, 22 de abril de 2012

Poeminha amoroso...

Este é um poema de amor 
tão meigo, tão terno, tão teu... 
É uma oferenda aos teus momentos 
de luta e de brisa e de céu... 
E eu, 
quero te servir a poesia 
numa concha azul do mar 
ou numa cesta de flores do campo. 
Talvez tu possas entender o meu amor. 
Mas se isso não acontecer, 
não importa. 
Já está declarado e estampado 
nas linhas e entrelinhas 
deste pequeno poema, 
o verso; 
o tão famoso e inesperado verso que 
te deixará pasmo, surpreso, perplexo... 
eu te amo, perdoa-me, eu te amo... 
(Cora coralina)