segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

Rubayyat


Noite, silêncio, folhas imóveis
Imóvel o meu pensamento
Onde estás, tu que me oferecestes a taça?
Hoje caiu a primeira pétala
Eu sei uma rosa não murcha
Perto de quem tu agora sacias a sede
Mas sentes a falta do prazer que eu soube te dar
E que te fez desfalecer
Acorda... e olha como o sol em seu regresso
Vai  apagando as estrelas do campo da noite
Do mesmo modo ele vai desvanecer
As grandes luzes da soberba torre de sultão
                                                         ( Osmar Khayyam)